Culpado?

Culpado? Como se nada te fiz em tudo que vivi e ouvi pra ti 
Algumas das minhas palavras foram ditas em nossos tempos, mas nunca te foi como certas, outras esquecidas pelo cansaço desse agora
Homem triste

Sonhei com tudo para te viver passando todos os instantes 
a olhar no meu silêncio de amar 
Busquei em todas tentativas para esse momento 
nunca chegar em nosso viver
Jamais meu amor veio tarde em ti 
por saber que não estive em nenhuma parte que não fosse em ti
Acreditei no tudo que precisavas por pensar 
estar em mim, mas não era assim, 
nossas vidas não eram assim desses meus sonhos 
Nunca me senti preso por te amar a cada dia mais 
mesmo sabendo que seus voos tinham que ser 
mais constante quando resolvias em teu mundo ficar
Que culpa tenho eu do meu vício em te amar, da alegria de sentir tuas virtudes, de ser livre dentro de ti 
e colocar dúvidas quando longe de ti não sei ficar.
Rafael Mourão
Abraços e Beijos.
Blog Rio Sul

Comentários

  1. Olá Rafael.
    Um lindo poema e uma declaração de amor emocionante, o amor tem dessas coisas, quando pega de jeito causa muitas alegrias, mas também dor. Um abençoado domingo. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Rafael, amar não nos culpa!
    Quando amamos, somos sentimentos
    e emoções que nos transbordam,
    só queremos agradar ao nosso amor.
    Pairou dúvida?
    Dissolva!!!
    Não arraste pelo tempo!
    Mas ame e não se condene!!!
    Obrigada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  3. Oi Rafael, que lindo!!
    Vim lhe desejar uma ótima semana, abraços e fique com Deus!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas